img_logo_br

Essa é a continuação do post anterior: Preparando a sabedoria para destilação. Caso ainda não tenha lido a primeira parte, clique aqui ou role a barra de rolagem um pouquinho até o post anterior. Bom, agora vamos a este post.

 

Agora que já preparamos e separamos o material que vai sofrer a destilação. Vamos iniciar esse processo. De acordo com o dicionário Houaiss da língua portuguesa, destilar é:
“Deixar sair em gotas; estilar”; no sentido literal, enquanto no sentido figurado significa: “deixar perceber, insinuar, provocar”.

 

Mesmo depois de consultar ambos os sentidos - literário e figurado – de ambas as palavras e juntá-los, ainda não me convenci de que exista qualquer harmonia na expressão. Ela ainda me soa estranha. Pois, começando pelo sentido figurado, não parece que a pessoa que destila sabedoria estaria insinuando ou provocando a sabedoria. No máximo, deixando perceber a sua sabedoria – e talvez seja daí que se origine a expressão – porém, os contextos nos quais usamos a expressão “destilar sabedoria” parecem muito mais dramáticos e menos sutis do que apenas um deixar perceber da sabedoria que até o momento permanecia profunda e perfeitamente escondida.

O sentido mais literal também não me convence pelo mesmo motivo. Os contextos que pedem a expressão destilar a sabedoria parecem muito mais dramáticos que um simples deixar sair em gotas (ou em recados de bilhetes de biscoitos da sorte orientais) da sabedoria. Destilar a sabedoria parece algo muito mais drástico, um momento de iluminação, de “compartilhamento da luz”, quase como o conselho de um mentor indicando o caminho da epifania ou a revelação do ato final de uma jornada heróica.

 

Porém, comecei a ficar convencido quando pesquisei o processo de destilação e sua importância para o cotidiano. De longe, a utilização mais conhecida desse processo é a destilação de bebidas alcoólicas.

 

A destilação de bebidas alcóolicas é um processo que remonta a antiguidade, é também um processo transcultural, existe tanto na cultura ocidental quanto na cultura oriental, é claro, devido aos vegetais produzidos em cada região, a matéria-prima é bem diferente de uma região para outra. Contudo, o objetivo e o produto final são bastante semelhantes. Ou seja, a destilação surgiu muito antes da ciência da química, ou da alquimia, e da teorização a respeito dos processos de separação de substâncias. Podemos dizer, por fim, que a destilação é uma coisa muito antiga, que independe da cultura e não está necessariamente ligada a cultura escolástica ou a formalização dos saberes a ela relacionada, tendo surgido apenas por experiência prática. Visto por esse prisma, a destilação possui muito em comum com a sabedoria. Podemos dizer que as primeiras pessoas a realizarem o processo de destilação (em vários lugares diferentes) eram homem sábios.

 

Sábios também são aqueles que respeitam as leis, o bom senso, a moderação e as situações antes, durante e após o consumo dos mais famosos produtos da destilação. Esses destilam sabedoria ao conseguir adequar a satisfação do paladar com a observância das regras de boa convivência, das leis do estado e com o cuidado da própria saúde e qualidade de vida.

Comentários sobre Destilando…